Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Predestinação - os cinco pontos

Quando se fala em predestinação e livre-arbítrio, não há como não citar os famosos “cinco pontos do calvinismo” e sua alternativa, “os cinco pontos do arminianismo”. Penso que somente depois de entendermos esses tópicos seremos capazes de ter uma idéia mais completa sobre o tema, embora, repito, acho que nunca chegaremos a entendê-lo completamente.
Os Cinco Pontos do Calvinismo, (conhecidos pelo acróstico TULIP, referente às iniciais em inglês):
T otal Depravity = Total Depravação
U nconditional Election = Eleição Incondicional
L imited Atonement = Expiação Limitada
I rresistible Grace = Graça Irresistível
P erseverance of Saints = Perseverança dos Santos
São uma síntese do Sínodo de Dordrecht ou de Dort, uma querela acerca das doutrinas da Graça e da Predestinação. Seu eixo é a afirmação de que Deus é perfeitamente capaz de salvar cada pessoa que Ele queira, e que Seu trabalho não pode ser frustrado. De modo geral explicam-se assim:
Depravação total do homem - ou "depravação radical", "corrupção total" e "incapacidade total". Toda criatura humana, após a queda, é dominada pelo pecado, que a corrompe e contamina, incluindo a mente. Por isso, afirma-se que ninguém é capaz de realizar o que é bom aos olhos de Deus:  o ser humano é escravo do pecado, por natureza hostil e rebelde para com Deus, espiritualmente cego para a verdade, incapaz de salvar a si mesmo e de se preparar para a salvação. Só a intervenção direta de Deus pode mudar isto.
Eleição incondicional - é a escolha feita por Deus desde a eternidade, daqueles a quem ele concedeu a graça da salvação. Esta escolha não se baseia no simples mérito, ou na fé das pessoas que ele escolhe, mas em Sua decisão soberana e incondicional, irrevogável e insondável. Isso não significa que a mesma salvação final é incondicional, mas que a fé é concedida também pela graça de Deus, como seu presente para aqueles a quem Ele escolheu incondicionalmente.
Expiação limitada - ou "redenção particular" ou "redenção definida", significa que a obra redentora de Cristo visa a salvação apenas daqueles que são alvo da graça da salvação. A eficácia salvífica de Cristo, então, não é "universal" ou "potencialmente eficaz" para quem iria recebê-lo, mas especificamente designada para aqueles a quem Deus Pai escolheu. Os calvinistas não acreditam que a expiação é limitada em seu valor ou poder (se Deus o Pai quisesse, teria salvo todos os seres humanos sem exceção), mas sim que a expiação é limitada por ser destinada a alguns e não a todos.
Vocação eficaz (ou Graça Irresistível) - ou "graça eficaz", ensina que qualquer influência do Espírito Santo é irresistível, superando toda e qualquer resistência. Quando então, Deus soberanamente visa salvar alguém, o indivíduo não será bem sucedido se tentar resistir.
Perseverança dos santos - ou "preservação dos santos" ou "segurança eterna": aqueles a quem Deus chamou para a salvação, e depois, à comunhão eterna com Ele não podem cair em desgraça e perder sua salvação. Mesmo que o pecado os leve a renunciar à sua profissão de fé, eles (se são autênticos eleitos), mais cedo ou mais tarde, retornarão à comunhão. A salvação é obra de Deus do começo ao fim, Deus é fiel às Suas promessas, e nada nem ninguém pode impedir Seus propósitos soberanos. Isto é ligeiramente diferente do conceito de "uma vez salvos - salvos para sempre". No ensino tradicional calvinista, se uma pessoa cai em apostasia ou não mostra mais sinais de arrependimento genuíno, pode ser prova de que ele nunca foi realmente salvo, e, portanto, não fazia parte do número dos eleitos.
Isto posto, é necessário agora expor o contraponto feito pelo teólogo holandês Jacob Arminius, que estudou as doutrinas de Calvino e apresentou algumas objeções a certos pontos delas. No Sínodo de Dort, foi debatida a doutrina arminiana clássica na forma dos cinco pontos seguintes:
Eleição Condicional - Deus, por um eterno e imutável decreto em Cristo, antes da criação do mundo, determinou eleger, dentre a raça humana caída e pecadora, aqueles que pela graça crêem em Jesus Cristo e perseveram na fé e obediência. Contrariamente, Deus resolveu rejeitar os não convertidos e descrentes, reservando-lhes o sofrimento eterno (João 3:36).
Expiação Universal - Em conseqüência do decreto divino, Cristo, o salvador do mundo, morreu por todos os homens, de modo a garantir, pela morte na cruz, reconciliação e perdão para o pecado de todos os homens. Entretanto, essa salvação só é desfrutada pelos fiéis (João 3:16; I João 2:2).
Fé Salvadora - O homem não pode obter a fé salvadora por si mesmo ou pela força do seu livre-arbítrio, mas necessita da graça de Deus por meio de Cristo para ter sua vontade e seu pensamento renovados (João 15:5).
Graça Resistível - A graça é a causa do começo, do progresso e da completude da salvação do homem. Ninguém poderia crer ou perseverar na fé sem esta graça cooperante. Conseqüentemente, todas as boas obras devem ser creditadas à graça de Deus em Cristo. Com relação à operação desta graça, contudo, não é irresistível (Atos 7:51).
Indefinição Quanto à Perseverança - Os verdadeiros crentes têm força suficiente, por meio da graça divina, para lutar contra Satanás, contra o pecado e contra sua própria carne, e para vencê-los. Mas, se eles, em razão da negligência, podem ou não apostatar da fé verdadeira e vir a perder a alegria de uma boa consciência, caindo da graça, é uma questão que precisa ser melhor examinada à luz das Sagradas Escrituras.
Interpretação dos Cinco Pontos - O terceiro ponto sepulta qualquer pretensão de associar o arminianismo ao pelagianismo ou ao semi-pelagianismo. De fato, a doutrina de Armínio é perfeitamente compatível com a depravação total calvinista: em seu estado original o homem é herdeiro da natureza pecaminosa de Adão e totalmente incapaz, até mesmo, de desejar se aproximar de Deus. Nenhum homem nasce com o "livre-arbítrio", ou seja, com a capacidade de não resistir a Deus.
O quarto ponto demonstra claramente que é a graça preveniente que restaura no homem a sua capacidade de não resistir à Deus. Portanto, para Armínio, a salvação é pela graça somente e por meio da fé somente. Nesse sentido, os arminianos concordam com os calvinistas no sentido de que a regeneração, por meio da graça, precede a fé, e que até mesmo a fé salvadora seja um dom de Deus. A diferença está na compreensão da operação dessa graça. Para os calvinistas, a graça é concedida apenas aos eleitos, que a ela não podem resistir. Para os arminianos, a expiação por meio de Jesus Cristo é universal e comunica essa graça preveniente a todos os homens; mas ela pode ser resistida. Assim como o pecado entrou no mundo pelo primeiro Adão, a graça foi concedida ao mundo por meio de Cristo, o segundo Adão (conforme Romanos 5:18, João 1:9 etc.). Nesse sentido, os arminianos entendem que I Timóteo 4:10 aponta para duas salvações em Cristo: uma universal e uma especial para os que creem. A primeira corresponde à graça preveniente, concedida a todos os homens, que lhes restaura o arbítrio, ou seja, a capacidade de não resistir a Deus. Ela é distribuída a todos os homens porque Deus é amor (I João 4:8, João 3:16) e deseja que todos os homens se salvem (I Timóteo 2:4, II Pedro 3:9 etc.), conforme defendido no segundo ponto do arminianismo. A segunda é alcançada apenas pelos que não resistem à graça salvadora e creem em Cristo. Estes são os predestinados, segundo a visão arminiana de predestinação.
Portanto, embora a expressão "livre-arbítrio" seja comumente associada ao arminianismo, ela deve ser entendida como "arbítrio liberto" ou "vontade liberta" pela graça preveniente, convencedora, iluminadora e capacitante que torna possíveis o arrependimento e a fé. Sem a atuação da graça, nenhum homem teria livre-arbítrio.
Ao contrário dos calvinistas, os arminianos creem que essa graça preveniente, concedida a todos os homens, não é uma força irresistível, que leva o homem necessariamente à salvação. Para Armínio, tal graça irresistível violaria o caráter pessoal da relação entre Deus e o homem. Assim, todos os homens continuam a ter a capacidade de resistir à Deus, que já possuíam antes da operação da graça (conforme Atos 7:51, Lucas 7:30, Mateus 23:37 etc.), e dessa forma a responsabilidade do homem em sua salvação consiste em não resistir ao Espírito Santo. Este é o coração do sinergismo arminiano, o qual difere radicalmente dos sinergismos pelagiano e semi-pelagiano.
Quanto à perseverança dos santos, os arminianos não se posicionaram, já que deixaram a questão em aberto.
Para o Rev. André do Carmo Silvério, em http://www.monergismo.com/, a diferença crucial entre o Arminianismo e o Calvinismo se resume na palavra Soberania: “enquanto os calvinistas entendem que Deus opera a salvação na vida do ser-humano conforme a sua livre e soberana vontade, os arminianos salientam que o homem é capaz de por si só querer ou não ser salvo. Se partirmos da premissa que o homem está completamente morto diante de Deus como nos ensina Efésios 2:1, entenderemos porque a salvação depende tão somente da graça e da misericórdia do Senhor, pois ‘não depende de quem quer ou quem corre, mas de usar Deus a sua misericórdia’ (Romanos 9:16)”.
Eu acho que o principal problema deste tópico é a definição de livre-arbítrio. Para os calvinistas livre-arbítrio é a (in)capacidade de o Homem, em seu estado natural, isto é, não-salvo, escolher buscar a Deus; isto quer dizer que a depravação total impossibilita quem quer que seja de por sua própria iniciativa decidir servir a Deus, sendo o Homem totalmente inclinado para o Mal. Para os arminianos me parece que a melhor definição para o termo é a capacidade de o Homem decidir não-buscar a Deus, ou seja, ninguém nasce tão livre a ponto de poder resistir ou não a Deus (isto também é Depravação Total). O que capacita o Homem a fazer a escolha entre o Bem e o Mal é a Graça preveniente, oferecida a todos como uma capacitação para esta escolha. A partir daí o Homem pode aceitar ou rejeitar a salvação, sendo Deus, portanto, isento de qualquer culpabilidade pela condenação dos infiéis.
Para finalizar, gostaria de pedir que, por favor, dê uma olhada nesses dois arquivos que eu fiz: http://img502.imageshack.us/i/comparaopontos.pdf/ e http://img696.imageshack.us/i/comparaosistemas.pdf/ .
Deus te abençoe.

67010

  © Blogger templates Modelo: Shiny by Ourblogtemplates.com 2008 - personalizado por Georges - que ralou pra caramba!

Voltar ao INÍCIO