Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 22 de novembro de 2008

Os Magos que visitaram o Menino Jesus: quem eram, de onde vieram e como souberam que Ele havia nascido em Israel?

Estudo adaptado (editado e condensado) de “A Espada do Espírito” – www.eti.com.br
A tradição popular diz que “três reis” magos visitaram Jesus quando nasceu em Belém, e que se chamavam Melquior, Baltasar e Gaspar. Talvez alguém tenha considerado que, como os presentes eram três, também esse devia ser o número dos visitantes. Essa batatada toda começou com "São" Beda, “o Venerável” (673-735), que no seu tratado “Excerpta et Colletanea” assim relata: Belchior era velho de setenta anos, de cabelos e barbas brancas, tendo partido de Ur dos Caldeus. Gaspar era moço, de vinte anos, robusto e partira de uma distante região montanhosa, perto do Mar Cáspio. E Baltazar era mouro, de barba cerrada e com quarenta anos, partira do Golfo Pérsico, na Arábia Feliz. [Wikipédia].
Isso tudo é uma bobagem. Nessa fantasia já há contradição com a Bíblia, que diz que os magos vieram “do Oriente”. O Mar Cáspio está ao Norte e a Arábia, feliz ou não, fica ao Sul de Israel. Na verdade, a Bíblia não nos dá nem mesmo os nomes desses personagens. Não diz que eram “reis” e muito menos que eram três. Relata apenas que “uns magos” vieram do Oriente (Mateus cap. 2). 

Nem vale a pena analisar “o venerável São Beda”. As questões que realmente interessam são outras! Como os magos souberam que a estrela que viram no céu era especial? Tão especial que partiram em uma longa viagem para apresentarem presentes ao futuro Rei? Espere um minuto! Quem lhes informou sobre o Rei? Além disso, aqueles homens nem mesmo eram judeus; eram adoradores de Zoroastro e outros deuses... Como eles podiam saber do recente nascimento do Messias judeu que tinha sido profetizado por tanto tempo?
Se avançarmos 33 anos além do nascimento de Jesus, veremos o Senhor chorando pelos habitantes de Jerusalém, que não O reconheceram como o Messias. Ele disse: "Se conheceras por ti mesma ainda hoje o que é devido à paz! Mas isto está agora oculto aos teus olhos. Pois sobre ti virão dias em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras e, por todos os lados, te apertarão o cerco; e te arrasarão e aos teus filhos dentro de ti; não deixarão em ti pedra sobre pedra porque não reconheceste a oportunidade da tua visitação" [Lucas 19:42-44]. Jesus tinha todo o direito de cobrar das pessoas que soubessem quando Ele viria, pois esse segredo precioso tinha sido revelado ao profeta Daniel cerca de 500 anos antes.

A Profecia Mais Importante de Toda a Bíblia - Na época de Daniel apenas os oficiais e líderes religiosos importantes tinham acesso aos livros; ainda não havia imprensa, mas apenas manuscritos. Os sábios que foram visitar o menino Jesus eram estudiosos e, portanto, tiveram acesso aos escritos de Daniel. Além disso, eram magos, uma ordem da religião pagã de Zoroastro, na Média e na Pérsia. [Dictionary of the Bible, edit.por William Smith, The S. S. Scranton Company, 1904 pg 501]. Os reis os chamavam de "sábios", pois eles os convenciam que podiam oferecer bons conselhos e interpretar sonhos. Sempre que um rei conquistava outra nação, tomava os melhores jovens e os melhores "sábios" e os levava à sua corte, para orientá-lo nos negócios de seu reino. Daniel e seus amigos receberam esse tratamento (Daniel cap. 1).

Na Bíblia, vemos os magos da corte babilônica. Você deve se lembrar: o rei Nabucodonosor teve um sonho terrível, e ficou muito perturbado, pois não conseguia se lembrar do sonho e nem sabia o que significava. Então, convocou todos os magos, incluindo o profeta Daniel, já nesse tempo conhecido por sua sabedoria, e exigiu que lhe dissessem qual tinha sido o sonho e a interpretação, sob ameaça de morte. Quando os soldados foram matar os magos, Daniel pediu mais um prazo. Após muita oração de Daniel e de seus amigos, Hananias, Misael e Azarias, Deus revelou o sonho a Daniel e o rei poupou a vida dos magos [Daniel 2:1-19].

Daí em diante, os magos reverenciaram muito a Daniel, pela grande visão que recebera de Deus. Talvez nem cressem em Deus como o único Deus do universo; talvez cressem que Ele era o mais poderoso daquele tempo, e certamente muito poderoso em qualquer época. Certo é que continuaram politeístas.
Mas séculos depois os magos ainda conheciam Daniel; tinham cópias do seu livro e sabiam da profecia. Quando a estrela apareceu no céu, eles viram que era a época de aquela profecia se cumprir. Seu conhecimento das Escrituras e a ação motivadora do Espírito Santo fizeram com que embarcassem em uma longa jornada até Israel para prestar homenagem ao Messias.
Vamos considerar essa impressionante profecia, sobre o tempo da vinda de Jesus Cristo, dada com detalhes inacreditáveis cinco séculos anos antes. Deus anunciou o dia exato em que Jesus se apresentaria aos judeus como o aguardado Messias!

Uma Profecia Inigualável - Daniel 9:24-26 diz: "Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, para expiar a iniqüidade, para trazer a justiça eterna, para selar a visão e a profecia, e para ungir o Santo dos Santos. Sabe, e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas: as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos. Depois das sessenta e duas semanas será morto o Ungido, e já não mais estará; e o povo de um príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será num dilúvio, e até ao fim haverá guerra; desolações estão determinadas. Ele fará firme aliança com muitos por uma semana; na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador, até que a destruição, que está determinada, se derrame sobre ele”.
O termo semana referindo-se a sete anos era comum entre os judeus. O termo vem da ordem de Deus em Levítico 25:1-7; para cultivar um campo por seis anos, permitindo que descanse no sétimo ano. Esse período de sete anos veio a ser conhecido como "semana de anos". Portanto, 70 semanas são 490 anos. Observe que a profecia contém três partes:
· Sete semanas de anos [49 anos]
· Sessenta e duas semanas de anos [434 anos]
· Uma semana de anos [7 anos]
No ponto exato na história quando as 7 + 62 Semanas de Anos se cumpriram, Israel podia esperar que o Messias se apresentasse. Que grande notícia! Isso significava que Israel não poderia deixar de perder o Messias! Tudo o que os israelitas precisavam fazer era contar, acompanhar os eventos que se desdobravam e conhecer a profecia. Na próxima semana, veremos que:
· Os magos sabiam que o tempo da vinda do Messias estava próximo.
· Israel deixou de esperar o Messias.
· Isso se aplica a nós hoje.

  © Blogger templates Modelo: Shiny by Ourblogtemplates.com 2008 - personalizado por Georges - que ralou pra caramba!

Voltar ao INÍCIO