Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 13 de setembro de 2008

Os escritos bíblicos

Os manuscritos bíblicos foram preservados pelos escribas judeus como nenhum outro. Com o método massorético (de massorat = transmissão fiel) eles verificavam atentamente cada letra, sílaba, palavra e parágrafo. Dentro de sua cultura, eles dispunham de grupos de homens com funções específicas, cuja única responsabilidade era preservar e transmitir esses documentos com uma fidelidade praticamente perfeita – eram os escribas, copistas e massoretas. Quem alguma vez contou as letras, sílabas e palavras dos textos de Platão, Homero ou Aristóteles, de Cícero ou de Sêneca?
Bernard Ramm, em Protestant Christian Evidences

Exigências que os escribas deviam seguir em relação às Escrituras:
1 – o rolo de uma sinagoga deve ser escrito em peles de animais puros
2 – preparados por um judeu para o uso específico da sinagoga
3 – essas peles devem ser presas por barbantes feitos de animais puros
4 – cada pele deve conter um certo número de colunas, o qual deve se manter igual por todo o manuscrito
5 – o comprimento de cada coluna não deve ser inferior a 48 nem superior a 60 linhas, e a largura deve ser de 30 letras
6 – deve-se primeiramente traçar as linhas de toda a cópia, e se 3 palavras forem escritas sem linha, a cópia deve ser inutilizada
7 – a tinta deve ser preta, não vermelha, verde ou de qualquer outra cor
8 – deve-se fazer a cópia a partir de uma cópia autêntica, da qual o transcritor não deve se desviar de modo algum
9 – não se deve escrever nenhuma palavra ou letra, nem mesmo um iode, de memória, isto é, sem o escriba tê-la visto no códice diante de si
10 – entre cada consoante deve haver o espaço de um fio de cabelo ou de uma linha
11 – entre cada capítulo deve haver a largura de 9 consoantes
12 – entre um livro e outro deve haver 3 linhas
13 – o quinto livro de Moisés deve terminar exatamente no final de uma linha; mas com os demais isto não é preciso
14 o copista deve estar vestido com trajes judaicos a rigor
15 – lavar o corpo todo
16 – não começar a escrever o Nome de Deus com uma pena recém mergulhada na tinta
17 – caso um rei se dirija a ele enquanto está escrevendo o Nome de Deus, não deve dar atenção ao rei
Rolos feitos fora das especificações eram condenados a ser enterrados ou queimados
Samuel Davidson, em O Texto Hebraico do Antigo Testamento, 2ª edição

O texto massorético era tratado com a maior reverência que se possa imaginar, tendo sido elaborado um complicado sistema de salvaguardas contra erros de cópia. Era contado o número de vezes que cada letra aparecia em cada livro; era assinalada a letra que ficava exatamente no meio do Pentateuco, e a que ficava exatamente no meio da Bíblia toda.
Josh McDowell, em Evidência que Exige um Veredito

Os massoretas contaram os versículos, as palavras e as letras de cada livro. Calcularam a letra e a palavra que ficava no meio de cada livro. Fizeram uma lista dos versículos que continham todas as letras do alfabeto, ou um certo número delas; e assim por diante. No entanto, o que consideramos hoje uma trivialidade, teve o efeito de garantir uma atenção minuciosa à transmissão fiel do texto. Na verdade, os massoretas tinham um preocupação profunda de que não se omitisse nem se perdesse um só i ou til, nem uma só das menores letras ou uma pequena parte de uma letra da Lei.
Frederic G. Kenyon, em A Bíblia e a Arqueologia

Por que não existem manuscritos mais antigos? O mesmo cuidado devotado à transcrição dos manuscritos também explica o desaparecimento de cópias mais antigas. Após um manuscrito ter sido copiado com a exatidão determinada pelo Talmude, e após ter sido devidamente conferido, era aceito como autêntico. Uma cópia defeituosa ou imperfeita era imediatamente considerada imprópria para o uso. Sendo todos igualmente manuscritos, a idade deixava de significar vantagem para um rolo em relação a outro; ao contrário, a idade era positivamente uma desvantagem, pois com o decorrer do tempo, um manuscrito estava sujeito a tornar-se ilegível ou sofrer algum dano. Junto a cada sinagoga havia um armário de madeira, onde eram guardados os manuscritos. É natural que as cópias mais antigas, uma vez guardadas, se perdessem com o tempo, e às vezes eram deliberadamente queimadas quando o armário ficava cheio.
Frederic G. Kenyon, em A Bíblia e a Arqueologia

O manuscrito bíblico mais antigo conhecido era o rolo contendo o livro do profeta Isaías datado de 916 dC. Em março de 1947 foi encontrado entre os “manuscritos do Mar Morto” uma cópia de Isaías datada de 125 aC, ou seja, mais de mil anos mais velho. O texto é tão fiel que, das 166 palavras do capítulo 53, só há dúvidas sobre 17 letras. Dessas, 10 são uma questão de ortografia, que não afeta o sentido do texto. Quatro outras letras implicam pequenas alterações estilísticas, como conjunções. As 3 letras restantes formam apenas uma palavra, que acrescentada no versículo 11, não afeta o sentido, além de ter sido confirmada pela versão conhecida como Septuaginta. Desse modo, num capítulo com 166 palavras, há dúvidas sobre uma única palavra de 3 letras – e essa palavra não altera significativamente o sentido da passagem, após mil anos de transmissão.
Norman L. Geisler / William E. Nix, em Uma Introdução Geral à Bíblia

O evangelista Marcos não cometeu qualquer erro, tendo assim escrito à medida que Pedro as mencionava; pois ele prestava toda atenção a isso, a fim de não omitir qualquer coisa que ouvisse, nem incluir qualquer afirmação falsa no que registrava.
Papias (cerca de 130 dC), citado por Eusébio de Cesaréia em História Eclesiástica, 3:39

Embora prolongadas eras já tenham passado, ninguém se aventurou a acrescentar ou a remover ou a alterar uma sílaba das Escrituras.
Flávio Josefo, em Contra Ápion

Depois de tentar refutar a historicidade e a validade das Escrituras, cheguei à conclusão de que elas são historicamente confiáveis. Se alguém rejeitar a Bíblia alegando não poder confiar nela, terá então que rejeitar quase toda a literatura da Antiguidade.
Josh McDowell, em Evidência Que Exige Um Veredito

  © Blogger templates Modelo: Shiny by Ourblogtemplates.com 2008 - personalizado por Georges - que ralou pra caramba!

Voltar ao INÍCIO