Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 31 de julho de 2010

A Europa cavalga a besta:


O Tratado de Lisboa, assinado em novembro de 2009 por vários países europeus, basicamente acabou com a soberania nacional das nações envolvidas. A decisões mais importantes para os cidadãos do Velho Mundo agora serão tomadas por um pequeno grupo de elite – do qual muitos membros nem foram eleitos pelo voto. Mas, para essa elite global, a consolidação da União Européia é apenas um passo rumo a uma meta maior: o seu desejo supremo é sair de alianças regionais como a U.E. para um governo mundial. De fato, nos símbolos oficiais usados pela U.E. como moedas, cartazes, selos e outros, essa elite tem enviado mensagens dizendo exatamente o que está sendo planejado para fazer com toda a Humanidade.
A foto no alto deste artigo é uma estátua em frente ao Parlamento da U.E. em Estrasburgo, França. Ela representa a princesa pagã Europa cavalgando um touro, e é bem representativa. De acordo com o mito, Europa era uma linda mulher fenícia, filha do rei Agenor, de Sidon, cuja beleza chamou a atenção de Zeus, o maioral dos deuses do Olimpo, de temperamento tempestuoso. Na maioria das tradições ele aparece como casado com Hera, mas, dado a aventuras eróticas, apaixonou-se por Europa de tal maneira que a única forma que achou para se aproximar dela foi se transformando num touro magnífico, que mansamente se deitou ao seu lado. Europa terminou montando no animal, que subitamente saltou no mar e a levou para Creta, onde após violentá-la revelou sua verdadeira identidade e prometeu dar-lhe muitos filhos, que seriam valorosos heróis. Os mitos gregos são assim mesmo, repletos de violência, sangue, ardis e vinganças cruéis.
Bem, o que isto tem a ver com os fatos atuais?
Se olharmos bem, podemos associar a figura de Zeus, o maioral dos deuses, capaz de mentir, assassinar, roubar, enganar e seduzir, com o maioral dos demônios, Lúcifer, que possui, segundo a Bíblia, muitas dessas características odiosas. Como Zeus, que tinha um trono de onde engendrava seus planos, Lúcifer também possuía um local que foi chamado de “trono de Satanás”, de acordo com Apocalipse 2:12,13: “Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Isto diz aquele que tem a espada aguda de dois gumes: Sei onde habitas, que é onde está o trono de Satanás...”.
O que existe de tão especial em relação a Pérgamo?
Havia ali, desde o século II a.C. uma grande estrutura de pedra, de cerca de 30 metros de largura por 13 de altura, a 25 km do mar, dedicada a Zeus; ricamente esculpida, hoje se encontra, reconstruída e restaurada, em um museu de Berlim. É fato aceito arqueologicamente que se trata do altar de Zeus a que provavelmente se refere o Apocalipse. (se a foto não abrir em tamanho maior, clique aqui).
Pois bem, usando essa antiqüíssima lenda de Zeus e Europa como símbolo da U.E., divulgada subliminarmente pelas autoridades, podemos assumir que está em curso um plano do chefão – Satanás – para seduzir a Europa e finalmente, dominá-la. Vemos outras ilustrações desse mito em moedas, cartazes, trabalhos de arte como monumentos e esculturas espalhadas por todo o continente.
Alguns exemplos são mostrados a seguir:
Uma moeda de 2 euros foi lançada na Grécia mostrando uma mulher cavalgando uma besta. 
Em 1996, uma moeda de 5 euros foi lançada com a ilustração de Europa montada no touro.
Para comemorar a segunda posse do Parlamento Europeu em 1984, foi lançado um selo comemorativo com a mesma simbologia.
A capa da revista alemã Der Spiegel apresentou a imagem de uma mulher a cavalgar uma besta, carregando a bandeira da U.E. com a manchete “Bom Dia Europa”.
Um cartão telefônico alemão feito pela U.E traz a mesma imagem.
A revista Time publicou uma ilustração da Europa Unida que
apresentava a mulher cavalgando a besta.
Em frente à sede da U.E. em Bruxelas, Bélgica, há uma estátua da personificação da Europa: uma mulher nua sobre um grande touro, reproduzida lá no início desta postagem.
Mas não apenas esses, mas outros símbolos da U.E. enviam mensagens que têm profundo significado.
De acordo com a tradição, Nimrode foi o sujeito que iniciou a construção da Torre de Babel, e também teria sido o fundador do primeiro grande império a surgir depois do dilúvio, na tentativa de estabelecer um governo único.
Com esses fatos em mente, observe a imagem da Torre de Babel encimada por um círculo de estrelas, abaixo.
Foi o cartaz oficial que anunciava a formação do Parlamento Europeu, mas foi retirado de circulação por causa de protestos de vários grupos. Não é preciso explicar a conexão da imagem com o relato bíblico, mas a elite européia está a dizer, basicamente, que quer completar o que Nimrode começou: estabelecer um governo global.
Então, como você pode ver, tudo isto remonta à lenda grega de Zeus e Europa, mas também faz uma forte conexão com a profecia bíblica para os últimos dias. Em Apocalipse, lemos sobre uma mulher a cavalgar uma besta. O verso 3 do capítulo 17 diz: “Então ele [um anjo] me levou em espírito a um deserto; e vi uma mulher montada numa besta cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e que tinha sete cabeças e dez chifres”.
Essa besta representa, segundo os melhores intérpretes e estudiosos da profecia,um governo mundial liderado pelo Anticristo. Usando deliberadamente o símbolo da mulher montada na besta, os líderes políticos estão claramente comunicando que estão conectados com o sistema vindouro. Eles sabem que a Biblia diz quando um símbolo assim seria usado.
Parece que eles estão se vangloriando de ostentá-lo!
Os homens no topo da pirâmide de poder – ou seria da Torre de Babel? – estão se revelando satanistas da pesada! Eles sabem que o Anticristo está para aparecer, e eles irão servi-lo: “têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta” (Apocalipse 17:13), acreditando que sairão vitoriosos. Confiam no seu “deus”!
Satanás engana a todos, e a si mesmo, ao acreditar que pode vencer esta batalha cósmica, e os seus seguidores, ainda que de forma inconsciente, crêem a mesma cosa: que podem viver sem Deus, que não precisam prestar contas de seus atos, que sua rebelião contra Deus e independência de Jesus é uma manifestação de liberdade. Coisas desse tipo são inconcebíveis para um cristão verdadeiro – mas para incrédulos, ateus e todos os que ainda não receberam Cristo como Senhor, é o que realmente importa e faz sentido.
E para você, o que importa?
Traduzido de http://signsofthelastdays.com/ - adaptado por Georges Edward Alves

  © Blogger templates Modelo: Shiny by Ourblogtemplates.com 2008 - personalizado por Georges - que ralou pra caramba!

Voltar ao INÍCIO