Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 8 de março de 2012

Pode ser mesmo a última

Quando Jesus resolveu advertir seus discípulos sobre os acontecimentos dos últimos dias, “propôs-lhes então uma parábola: Olhai para a figueira, e para todas as árvores; quando começam a brotar, sabeis por vós mesmos, ao vê-las, que já está próximo o verão. Assim também vós, quando virdes acontecerem estas coisas, sabei que o reino de Deus está próximo” (Lucas 21:29-31). 

Há tempos que a gente vem vendo acontecimentos estranhos se amontoando nos jornais, dia após dia. Tanto que resolvi selecionar alguns que estavam destinados à coluninha lateral “Últimas Notícias” e trazer para uma edição especial, tipo a que fiz um tempo atrás com o “Mundo Cão”.

Espero que isto sirva para manter acesa a chama da profecia em cada leitor(a). Sabemos que muitos acham que o Apocalipse já está em andamento, e outros que “ainda não é o fim”, pois antes tem que “evangelizar todo o mundo”. Quero dizer que considero ambas as posições equivocadas, porque para “acontecer o Apocalipse”, isto é, as catástrofes descritas no último livro da Bíblia, é preciso primeiro ocorrer o arrebatamento, como podemos inferir da seqüência dos capítulos 4, 5 e 6: “Depois destas coisas, olhei, e eis que estava uma porta aberta no céu, e a primeira voz que ouvira, voz como de trombeta, falando comigo, disse: Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer. Imediatamente fui arrebatado em espírito...” (4:1,2); “Vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, bem selado com sete selos. Vi também um anjo forte, clamando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de romper os seus selos? E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele... E [o Cordeiro] veio e tomou o livro da destra do que estava assentado sobre o trono... E [os seres viventes] cantavam um cântico novo, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos;” (5:1-3, 7, 9); e “E vi quando o Cordeiro abriu um dos sete selos... Quando ele abriu o segundo selo...” (6:1, 3 etc.). Isto é, primeiro João, representando a Igreja, ouve a voz “como de trombeta” (cf. I Tessalonicenses 4:16), é arrebatado e Jesus mostra a ele “as coisas que hão de ocorrer”. Logo depois de Jesus abrir os selos, começam os juízos. 

Quanto à evangelização mundial, o contexto em que Jesus fala aos discípulos já é o da tribulação em curso, e portanto concluímos que “o fim” referido pelo Senhor é o fim da tribulação e do juízo, quando Ele retornará para salvar o Seu povo.

De outra forma, se pudéssemos aguardar a evangelização do mundo ser completada para só então “ocorrer o fim”, o conceito de iminência do arrebatamento seria inválido, pois esse evento ocorrerá sem aviso prévio. Este sim será como um relâmpago, imprevisível (ver Lucas 17:24-36 e Mateus 24:32-51). Antes, Jesus explicava aos discípulos sobre a tribulação (vv. 29-30: “logo depois da tribulação... aparecerá o Filho do Homem”), uma seqüência de eventos consecutivos. Mas é diferente o arrebatamento, que é secreto. Apenas os salvos o verão e ouvirão a trombeta (I Tessalonicenses 4:16, primeiro os que morreram em Cristo e depois os que estiverem vivos na ocasião; não há menção “das nações” ou dos incrédulos). Mas a segunda vinda será pública e notória, e “todo olho o verá” (Apocalipse 1:7).

Mesmo assim, quando vemos essas notícias nos jornais, não podemos saber ao certo se Jesus vem hoje ou amanhã buscar os Seus, como prometeu em João 14:3, mas sim que esse dia está próximo, cada vez mais próximo. E algumas notícias são essas, talvez as últimas que leremos...


Metade dos judeus ainda espera pelo Messias
Domingo, 4 de março de 2012 - A Fundação Avi Chai encomendou ao Guttman Center, do Instituto Democrático de Israel, uma pesquisa sobre o peso da religião entre os judeus. Entre 2009 e 2012 foram entrevistados 2000 judeus moradores de Israel. Os resultados indicam que 80% deles acreditam em Deus, 72% acreditam no poder da oração, 67% acreditam que os judeus são o “povo escolhido”, e 56% acreditam na vida após a morte.  Oitenta por cento dos entrevistados consideraram o casamento abençoado por um rabino importante, mas 50% acreditam que Israel deve permitir o casamento civil sem envolvimento de um rabino.
Além disso, 90% vêem os rituais judaicos como algo “importante” ou “muito importante”; cerca de 70% acreditam que a Torá [Velho Testamento] foi dada por Deus; 80% acreditam que as boas ações são recompensados e 74% dizem que os atos maus são punidos. 51% acreditam na vinda do Messias.
Sobre os recentes conflitos entre judeus ultra-ortodoxos, moderados e não religiosos, 55% dos entrevistados acreditam que as relações entre os religiosos e os não religiosos em Israel “não são boas” ou “nada boas”.
A pesquisa é uma evidência recente de como Deus, a fé e a religião continuam afetando Israel hoje como fazia em tempos antigos. Embora hoje em dia a separação entre religião e Estado seja vista como um valor democrático, não há dúvida que as questões espirituais são um fator dominante na política e na sociedade israelense.
A própria existência de Israel está historicamente ligada a profecias bíblicas e todo judeu sabe disso. Surpreendentemente, um dos principais jornais de Israel comentou que os resultados dessa pesquisa justificam os fortes laços entre o Estado judeu e os seus apoiadores cristãos sionistas, que seriam os únicos que realmente entendem o destino de Israel. A revista Israel Today falou com os líderes judeus messiânicos, que não se entusiasmaram muito com os resultados, mas disseram que o sentimento geral é que existe base para um evangelismo eficaz. Traduzido e adaptado de Israel Today e Anglican Journal - Fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/metade-dos-judeus-ainda-espera-a-vinda-do-messias/#ixzz1oAVwkvoh
Comentário – o que podemos dizer dessa noticia é óbvio: pelo simples fato de que os israelitas não receberam Jesus Cristo como o Messias prometido há dois mil anos, ainda esperam por alguém que resolva todos os seus problemas. Acontece que, por esperarem um personagem político, um herói que os libertaria da escravidão imposta por outras nações, um outro Gideão, um outro Moisés, um Davi que daria uma pedrada mortal no Golias inimigo, um outro Macabeu, quando Jesus anunciou que Seu Reino não era deste mundo, se decepcionaram e viraram-lhe as costas. Decidiram entregá-lo às autoridades, como já haviam feito com outros revoltosos. A história judaica é cheia desses episódios. Os judeus do primeiro século, em sua maioria, não entenderam o propósito da vinda de Jesus. Estão ainda entregues à cegueira espiritual que foi descrita por Paulo em Romanos. E por isso, serão enganados por um que tentará se passar por Messias. A propósito disso, Jesus mesmo os alertou, mas como eles não dão pelota para o que Jesus falou, infelizmente muitos serão engalobados pelo usurpador, até o que Verdadeiro Messias retorne para salvá-los da desgraça e da aniquilação: “e olharão para aquele a quem traspassaram, e o prantearão como quem pranteia por seu filho único; e chorarão amargamente por ele, como se chora pelo primogênito” (Zacarias 12:10).

ONU apoia união de todas as religiões

Sábado, 3 de março de 2012 - Nassir Abdulaziz Al-Nasser, presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, destacou recentemente o potencial “de todas as religiões do mundo” para promoverem a paz e a estabilidade no mundo. “Reconhecemos e celebramos os valores que são partilhados pelas tradições religiosas”, disse. Ele afirmou também que as religiões têm princípios comuns que podem ser usados ​​para trazer unidade e harmonia entre as pessoas. Seu discurso foi por ocasião da Semana Mundial da Harmonia Interreligiosa, realizada em Nova York, e reuniu representantes de diferentes credos religiosos.
Para Al-Nasser, as religiões e as Nações Unidas têm muito em comum: “Essas semelhanças incluem o respeito pelos direitos humanos – confrme está na Declaração Universal dos Direitos Humanos – a afirmação do valor igual de todos os seres humanos e a importância da compaixão e serviço ao próximo e as aspirações universais pela paz”. Os estados-membros da ONU decidiram num assembleia em 2010 realizar o evento anualmente. O presidente da Assembleia Geral detacou que a ONU foi estabelecida para “permitir a procura de valores universais como a paz, liberdade, direitos humanos, dignidade e uma unicidade da humanidade, que também são adotados por muitas religiões no mundo”.
A Vice-Secretária-Geral Asha-Rose Migiro destacou que, embora a fé seja “a ligação que muitas vezes une as comunidades e as culturas ao redor do mundo”, muitas vezes foi usada como uma desculpa para “enfatizar as diferenças e aprofundar as divisões”. “Só ao encontrarmos uma causa comum, no respeito mútuo de valores espirituais e morais é que podemos esperar que haja verdadeira harmonia entre as nações e os povos”, disse ela.
Ela enfatizou: “O evento de hoje é uma prova dos benefícios que podem derivar de caminharmos juntos e aprendermos uns com os outros”, e pediu ainda que as comunidades religiosas se posicionem contra o extremismo e a intolerância, permanecendo firmes na luta pela justiça social, dignidade e compreensão mútua.
Foi anunciado ainda que em 22 de março haverá um dia temático na Assembleia, visando “promover a compreensão intercultural para a construção de sociedades pacíficas e inclusivas”, questões que já foram levantadas ano passado no 4 º Fórum da ONU - Aliança das Civilizações em Doha, no Catar.
Comentário – quando apontamos para o fato de que estamos vivendo o que a Bíblia descreve como “os últimos dias”, muitos nos tacham de loucos, fanáticos e aloprados. Mas como reagir a uma noticia dessas, levando em conta o que a Bíblia diz em Apocalipse, que haverá no futuro uma espécie de globalização religiosa? O cap. 13 do último livro da Bíblia diz que em determinado momento surgirá uma entidade que será adorada por todos os habitantes da Terra (v.8). Isto é ou não é uma globalização religiosa? Tem até um sacerdote: versos 12 a 15. O objetivo desse sistema religioso é apagar toda e qualquer referência ao Deus Todo-poderoso, criador dos céus e da terra. Vemos esse processo já em desenvolvimento aqui e agora, quando pessoas carnais tentam retirar das notas de real a expressão “Deus seja louvado”, ou então organizam petições como esta aqui. Ou vocês acham que vai parar por aqui? Quando a ONU diz que quer unificar religiões, será que vai permitir a um pregador evangélico dizer que quem não crer em Jesus já está condenado, como diz a Bíblia? Vai permitir alguém dizer que o homossexualismo é pecado, e como o pecado é separação de Deus, quem não abandonar o homossexualismo vai para o inferno? Vai deixar que se anuncie que nem Buda, nem Maomé, nem Confúcio salvam ninguém, mas só Jesus é o caminho para Deus? Você tire as suas conclusões e veja se esse programa da ONU é ou não o embrião da futura Babilônia apocalíptica.

NASA: asteróide pode atingir a Terra em 2040


Segunda, 5 de março de 2012 - Cientistas preveem que o asteroide 2012 DA14 tem boa chance de colidir com nosso planeta em onze meses. De acordo com o site RT (citado pelo Digital Journal), a NASA confirmou que o asteroide, descoberto por astrônomos espanhóis no mês passado, tem boa chance de colidir com a Terra. Segundo o Diário da Rússia, o 2012 DA14 é da mesma classe do asteroide que, em 1908, caiu na região do rio Tunguska, na Sibéria, derrubou árvores em uma área total de 2.150 km² e liberou energia mil vezes maior do que a da bomba atômica que explodiu em Hiroxima, em 1945. O 2012 DA14 passará muito próximo. Em 15 de fevereiro do próximo ano, ele vai passar a 26,9 mil quilômetros da Terra, mais perto do que os satélites geoestacionários, que estão a 35,7 mil quilômetros da superfície. Astrônomos de vários países estão monitorando o 2012 DA14 e tentam determinar suas dimensões e trajetória exatas. Segundo o Digital Journal, cientistas sugerem que se enfrente esse asteroide com armas ou com... pintura. O problema é que não há tempo para se construir uma nave para a operação, que poderia atirar no asteroide ou simplesmente bater nele, para dividi-lo em pedaços ou alterar seu curso. O especialista David Dunham, da NASA, sugeriu: “Poderíamos pintá-lo”. A pintura poderia alterar sua capacidade de refletir a luz solar, alterar sua rotação e sua temperatura. No entanto, mesmo que se essa bobagem fosse bem sucedida, ainda haveria o perigo de sermos atingidos por ele em 2056, quando de seu retorno, de acordo com Aleksandr Devaytkin, chefe do observatório em Pulkovo, Rússia.
Só para lembrar, em novembro de 2011, o asteroide 2005 YU55 passou “raspando” pela Terra a uma distância de 325 mil quilômetros, ou seja, mais de dez vezes a distância prevista para a passagem do 2012 DA14. Por isso, não se descarta a colisão, já que os 27 mil km de distância podem estar dentro da margem de erro dos cálculos. Já o AG5 2011 pode colidir com o nosso planeta em menos de 30 anos, mais precisamente em fevereiro de 2040. Esse, ainda segundo a NASA, tem uma chance em 625 de atingir a Terra. Levando isso em conta, cientistas trabalham para lançar um meio de desviar o asteróide de sua rota. Mesmo porque as chances de colisão podem aumentar. Estima-se que o pedrão tenha 150 metros de largura, suficiente para acabar com uma cidade. Por enquanto, a companhia espacial norte-americana espera coletar mais dados sobre o asteróide em 2013.
No ano passado, um terrível terremoto seguido de tsunami levou destruição ao Japão e fez com que o país ficasse economicamente abalado. A Europa enfrenta há algum tempo sua crise econômica que tende a se alastrar pelo mundo. Agora, imagine se um asteroide desses atinge um grande centro populacional... Que tipo de agravamento da crise econômica isso poderia isso gerar? Quantas mortes ocasionaria um evento como o ocorrido na deserta Tunguska, caso explodisse numa grande cidade? Quem viver poderá ver. (MSNTecnologia via criacionismo.com)
Comentário – eu não sei se esse asteróide vai chegar até aqui e fazer esse estrago todo. Mas todo mundo sabe que há um monte de cascalho bem grande girando lá em cima, e há mesmo a possibilidade de um deles atrapalhar um bocado a rotina do Homo Sapiens. O que eu posso afirmar é o que a Bíblia diz que vai acontecer mesmo, mas só vai ver quem for deixado para trás no arrebatamento. Corpos celestes atingirão nosso pequeno planeta, com sérias conseqüências para os habitantes e para o meio-ambiente, com grande prejuízo dos recursos naturais: “e as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira, sacudida por um vento forte, deixa cair os seus figos verdes”; O terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas. O nome da estrela era Absinto; e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas” (Apocalipse 6:13 e 8:10-11).
Essas “estrelas” são claramente meteoros, cometas ou asteróides. Lembremo-nos de que João não era astrônomo e não iria dar uma descrição científica, mas descrever com suas palavras o que lhe foi dado observar. O desastre que se segue à queda desses objetos é literalmente o que vemos nas simulações do Discovery Channel ou em filmes como “Armagedom” e “Impacto Profundo”.
Observação - Não confundir com a estrela em 9:1 (“O quinto anjo tocou a sua trombeta, e vi uma estrela que do céu caíra sobre a terra; e foi-lhe dada a chave do poço do abismo”). Aqui obviamente é uma figura de linguagem, pois uma estrela não pode receber uma chave. Trata-se de Satanás, expulso do céu, conf. 12:3-4 e Lucas 10:18). Em todo caso, faça uma reflexão e veja se você está apto a sair deste planeta antes dessas hecatombes, ou se ficará para trás, com seu guarda-chuva aberto, esperando asteróides e outras coisas caírem do céu.

128930

  © Blogger templates Modelo: Shiny by Ourblogtemplates.com 2008 - personalizado por Georges - que ralou pra caramba!

Voltar ao INÍCIO